P

ERGUNTAS FREQUENTES

COMO POSSO ME TORNAR DOADOR DA ABCC?

Basta acessar o nosso site,  e escolher a forma de doação Em caso de dúvidas, entre em contato conosco clicando aqui

A ABCC REALIZA COBRANÇA DE DOAÇÕES DE PORTA EM PORTA OU POR TELEFONE?

Captamos recursos através do telemarketing para pedir doações ou apoiar  qualquer atividade, a ABCC possui mensageiros exclusivos com identificação da entidade. Alertamos para não confundir a ABCC com outras entidades que muitas vezes se passam por nós. Qualquer duvida entre em contato no telefone (11) 4033-3845.

GOSTARIA DE INFORMAÇÕES SOBRE O CÂNCER E SEUS TRATAMENTOS. (OU PARA QUALQUER DÚVIDA ASSOCIADA À DOENÇA E NÃO A ABCC)

Para obter informações sobre a doença, acesse a aba  Sobre o Câncer em nosso site, ou  faça uma visita em nossa sede.

CÂNCER PODE DAR EM QUALQUER PARTE DO CORPO?

Em princípio sim. O câncer atinge vários órgãos humanos. Por exemplo, os mais comuns são encontrados na bexiga, mama, ovário, pulmão, cólon e reto, esôfago, estômago, endométrio (útero), rim, leucemia (sangue), melanoma (pele), linfomas (sistema linfático), pâncreas, próstata, tireoide, retina (do olho), ossos e cérebro. No entanto, alguns são mais frequentes que outros.

Alguns tipos de câncer são mais frequentes em certas regiões. Por exemplo, de acordo com estimativas do INCA para 2017/2017, os tipos de câncer mais incidentes nas regiões brasileiras são os de Pele não Melanoma, Próstata, Mama.

COMO FAÇO PARA ME CADASTRAR NO REGISTRO NACIONAL DE DOADORES?

Qualquer pessoa que tenha entre 18 e 55 anos e que goze de boa saúde. Para se cadastrar, o candidato a doador deverá procurar o hemocentro mais próximo de sua casa, onde será agendada uma entrevista para esclarecer dúvidas a respeito das doações e, em seguida, será feita a coleta de uma amostra de sangue (5 ml) para a tipagem de HLA (características genéticas importantes para a seleção de um doador). Os dados são inseridos no cadastro do Redome e, sempre que surgir um novo paciente, a compatibilidade será verificada. Uma vez confirmada, o doador será consultado para decidir quanto à doação.

  • Telefone do Redome: (21) 3207-5299 / 3207-5214 
POR QUE OS CABELOS CAEM QUANDO SE FAZ QUIMIOTERAPIA?

Os fármacos usados, que são muito tóxicos, não distinguem sua ação entre células normais e cancerosas. Ou seja, os quimioterápicos inibem o processo de divisão celular e, assim, as células cancerosas que se encontram em alto estado de proliferação são as mais afetadas. O problema é que as células de alguns tecidos normais que também exibem esse padrão acabam morrendo do mesmo jeito em função do tratamento.

As células que participam do crescimento capilar são um exemplo. Como os quimioterápicos as impedem de proliferar o cabelo acaba caindo. Quando cessa o tratamento, o cabelo volta a crescer.

Outros tecidos também sofrem com a quimioterapia, como o fígado, os intestinos etc. Então a pessoa que está sendo tratada, além de perder os cabelos, sente muito enjoo e mal estar generalizado.